06 Jul

Xamanismo feminino

O feminino é vulcânico e tempestuoso, mas domínio próprio converte a força feminina em poder. Em toda a mulher há uma selvagem agachada dentro dela esperando a oportunidade de se liberar, oportunidade que inclui desafios e riscos, ambos recomendáveis para se despertar. O ancestral proíbe a mulher de se apaixonar de homens adormecidos, o sonho do não me dei conta é contagioso. O grande espirito perdoa o caminhar por trilhos que não eram para os teus pés, porem o tempo nunca perdoa e continua. Se beijas a vida na boca, terás começado a viver no teu coração, o resto se dará por impulso interno pois há coisas que toda a mulher sabe, que não precisas de aprender.

Habitamos num mundo patriarcal e machista, a inquisição contemporânea não mata o corpo, aniquila a alma. A mulher foi induzida a se esquecer do seu poder e treinada para desempenhar papeis secundários, além de estar preparada para sofrer. A infelicidade não é consequência de um destino inevitável mas sim o resultado de um minucioso treino quer começa na infância, se intensifica na adolescência e alcança o seu esplendor quando a mulher já sabe complicar-se e deprimir-se por iniciativa própria. Talvez a pré-história seja agora e o mundo apenas voltará a ser humano.

Habitamos uma época basicamente patriarcal, ainda existem muitos homens am posições de decisão que ameaçam a segurança e vida do planeta inteiro e poucas mulheres líderes ocupando o lugar que lhes corresponde. Muitas mulheres chegaram ao absurdo de recorrer ao ginecologista para lhe perguntar como parir, enquanto o têm feito os corpos femininos durante milênios. Sem dúvida, a mulher alienada de outras mulheres menos poderosa, desconectada da lua, falta-lhe magia. No entanto, não se trata de lutar contra o homem mas ajudá-lo a superar o machismo do qual è a primeira vitima.

Apropria-te de novo de ti mesma, recupera o teu poder, desperta a tua curandeira, instala o teu coração junto â tua cabeça, segrega pensamentos com amor e acaricia com inteligência, respira magia e não descartes a sensualidade que fale o idioma dos gemidos. Aprende a curar sem envenenar-te. Lembra-te que amar eleva as tuas vibrações e te entrega a inédita liberdade que te habilita para o autocontrolo das tuas emoções mais do que toda a repressão, permite que a tua liberdade se passeie do corpo central ao distante e pela largura de todo o teu cenário vivencial. É a tua vida. O que não faças, ficará pendente.

Crescer é curar-se do machismo, é purgar-se do medo e habitar-se para um gradual autocontrolo. É o renascimento da deusa e a aquisição do teu poder natural que inaugura uma nova visão, é a iniciação â vida. Toda a mulher iniciada recebe um canto que se constrói no seu som sagrado. Desde uma nova perspectiva o homem deixa de ser o sexo oposto para se converter no sexo complementar, o qual necessitará por sua vez ser iniciado por uma mulher. Lembra-te que o corpo feminino é a extensão da mãe terra, que se veste de magia desde que ela se sincroniza com a natureza.

A mulher desperta diálogo constante com a natureza, por isso tudo o que passa no universo a afeta. Quando a mulher abandona a sua conexão com a terra, perde o seu poder e esse recurso purificador que tem ao seu dispor. Quanto mais reflete a mulher, mais rebelde e mais critica será a sua postura. Quanto mais medita, mais poderosa será, este processo inclui passar do instinto â intuição. Não temas atravessar a loucura, é necessário dares-te à luz. O instintivo as conecta com a natureza, no entanto quando esta conexão se aprofunda e se torna natural, supera-se o instintivo e se acede à intuição. Então podem confiar no seu corpo e dançar com os seu problemas, meditar dançando até ao êxtase. Lembra-te que a mulher pensa com todo o corpo e sente com a alma. Nenhuma mulher está sozinha, desde que se desperta.

O machismo é uma droga que tem como essência o medo. A logica patriarcal propõe à mulher uma vida refletiva e profundamente superficial. A partir do nosso xamanismo te propomos restabelecer o pacto de sangue com a terra, retomar os rituais lunares, aprender a moveres-te como o jaguar, sem deixar pegadas para não ser apanhado. A mulher tem uma tendência natural, quase biológica ao xamanismo. É urgente que xamanise a sua vida, para descobrir os poderes que desconhece enquanto dorme. Converte a tua menstruação numa cerimonia, menstruar é morrer, é renovar-se e renascer. A tensão pré-menstrual é um sintoma de não manipular cerimonialmente a lua.

A mulher sem poder torna-se descartável. Reconecta a tua xamana interior, lembra-te que a nossa vida é uma pausa festiva e sagrada entre duas eternidades que goteiam sobre os nossos dias em forma de instantes. A menstruaçao conecta a mulher com a mãe terra, a liga com a lua, a faz dançar com Mamakhocha (o mar) e a convida a viajar ao seu espaço interior e conectar-se com Mamaocllo (a xamana interior). Quando a mulher deixa de sangrar, já deveria ter a sabedoria das avós, consagradas a formar novas mulheres, já que nas suas almas acumulam muitos passos, muitas luas, muitos entardeceres. Quando não desperta o seu poder interior, este se vira contra ela.

A mulher é a ponte de retorno da humildade em relação à natureza, a mulher dá vida e antes deve dar vida a si mesma. A mulher submissa é um mau exemplo para as outras. Lembra-te que a maioria das mulheres foram treinadas para ser dependentes e inseguras, a reduzir as suas vidas à administração de necessidades desnecessárias. A mulher foi dessensibilizada durante vários séculos, no entanto é possível que se desperte. Talvez tudo comece por se dar tempo para contemplar a natureza, assumir-se como natureza, observar-se, conhecer-se, transformar-se, remodelar-se e escolher como queres ser.

A consequência é crescer e recuperar a sua capacidade de disfrutar, formar círculos lunares com mulheres, cantar, dançar nas noites de lua cheia, recuperar a sua alma, viajar no seu corpo e desta maneira incrementar a sua sensibilidade e aprender a renovar-se conscientemente e a comunicar sem palavras, como muitas mães fazem com os seus filhos. Desde que se desperta, a mulher é responsável pelo que pensa, sente e diz, e faz, desde que se desperta, a mulher começa a ver que existem outras formas de vida.

Enquanto mais descobre o xamanismo, mais se enamora de estar viva, e pouco a pouco o amor toma conta dela. Compreende que se cortas as asas da borboleta da vida, esta degenera . Todo a mulher desperta emana um perfume, e ama mesmo quando se compromete a reabastecer o planeta de mulheres felizes, então sente inevitavelmente que o universo lhe dá as boas vindas. Essa é a festa multidimensional à qual estás convidada.

CHAMALÚ

CHAMALÚ é um homem de sabedoria que une o ancestral ao contemporâneo, o sagrado ao mundano, o interno ao externo. CHAMALÚ é um místico hedonista, um filósofo da vida, um sonhador prático, um poeta vivencial, um líder visionário que sonha com um mundo novo e vive em coerência com esse desejo.